sábado, 18 de abril de 2009

TUDO SOBRE A OBRIGATORIEDADE DO AIR BAG – PARTE I

O ano de 2009 é sem dúvidas um marco para a indústria automobilística nacional. No dia 19 de março o presidente Lula sancionou a Lei 11.910 que obriga todos os automóveis a serem equipados com Air Bags Duplos no prazo de até cinco anos.


Explicando melhor, a Lei 11.910 de 18 de março de 2009 altera o artigo 105 da Lei de número 9.503, de 23 de setembro de 1997, do Código de Trânsito Brasileiro, determinando que, até 2014, o uso do equipamento suplementar de retenção, ou seja, Air Bag, torna-se obrigatório para veículos leves.

Quem lembra, no início da década de 90, os automóveis foram obrigados a utilizar espelho retrovisor do lado direito, até então item opcional em carros mais baratos. Se voltarmos um pouco mais no tempo, mas precisamente na década de 80, vamos lembrar que os cintos subabdominais deram lugar gradativamente aos cintos transversais, e seu uso tornou-se obrigatório. Foram decisões importantes, mas que não tiveram grande impacto quando comparado à obrigatoriedade do Air Bag.

Segundo o CESVI, entre 2001 e 2007, mas de três mil mortes poderiam ter sido evitadas caso os veículos acidentados possuíssem Air Bags. Se considerarmos apenas os ferimentos leves, foram mais de setenta mil casos no mesmo período que poderiam ter sido minimizados pelo uso do equipamento. Isso quer dizer que a cada ano, 490 pessoas, ou seja, 1,4% dos 35 mil mortos anuais no trânsito podem ter suas vidas salvas com o uso da bolsa.

Portanto, não há dúvidas. A Bolsa de Ar é o item de segurança mais significativo em um automóvel na atualidade, tendo sido responsável por salvar a vida de milhares de pessoas em todo o mundo. Tudo isso graças ao acionamento de uma bolsa de ar em menos de oito décimos de segundo.

E, além de salvar vidas, o impacto econômico em função da redução de casos de morte e ferimentos graves seria na ordem de R$ 225 milhões por ano, segundo o IPEA.

Nos próximos Posts veremos as questões técnicas por trás da obrigatoriedade do Air Bag.

Alexandre

Para saber mais sobre o assunto:

Nenhum comentário: